E Deus viu que era bom O AMOR DE DEUS PELO UNIVERSO Aaron Joseph Hackett | teologia | 14/04/2020

Deus criou algo do nada

Nas páginas das páginas de O Catecismo da Igreja Católica CCC 27 “ O desejo de Deus está escrito no coração humano, porque o homem é criado por Deus e por Deus; e Deus nunca cessa de atrair o homem para si mesmo. Somente em Deus ele encontrará a verdade e a felicidade que nunca deixa de procurar:

A dignidade do homem repousa acima de tudo no fato de ser chamado à comunhão com Deus. Esse convite para conversar com Deus é dirigido ao homem assim que ele surge. Pois se o homem existe, é porque Deus o criou através do amor, e através do amor continua a mantê-lo na existência. Ele não pode viver plenamente de acordo com a verdade, a menos que reconheça livremente esse amor e se confie ao seu criador . ”[1]

Irmãos e irmãs, vamos dar glória ao Deus Todo-Poderoso, que deseja compartilhar essa doçura com toda a criação! Quão mais maravilhosos e privilegiados somos, para desfrutar do leite e do mel que ele nos dá. Antes de nos criar, o mundo era vasto e vazio[2] . Nosso amor a Deus, que eu, pessoalmente, reconheço como o Mestre Artesão, criou tudo em exist cia Como esse ser poderia saber por onde começar? Como ele sabia quantas maneiras leitosas fazer? Como ele ia separar a terra das águas? Fazendo o sol e a lua? Isso não poderia ter acontecido do nada. Pois como nada pode se criar? São Tomás de Aquino aborda essa questão com seus escritos da Summa Theologiae Art.1, Obj 1 “ Parece que criar não é produzir nada do nada. Para Agostinho diz: “Preocupar o que não existia; mas criar é criar algo, trazendo algo do que já era. ” Deus criou algo maior do que minha mente pode sonhar, as coisas que os anjos que ele criou podem entender tão bela. A maravilha de procurar um mundo tão bonito e ouvir o criador do universo “E ele disse que era bom”!

 

A importância de Deus dizer que “foi bom ” , é que o Mestre do Universo não faz nada que não seja perfeito, ele não faz nada com quaisquer “partes que sobraram”. Você, eu, o peixe que você captura da costa dos mares de Java, na Indonésia, ou as culturas que você cria fora da Grande Cidade de Riad, das oliveiras que você colhe fora de Jerusalém, tudo o que foi feito, é feito e continua a ser feito é perfeito aos olhos de Deus. Pois até o próprio Deus respondeu a Jó,

“Quem é esse que obscurece o conselho por palavras sem conhecimento? Cinge os teus lombos como um homem, eu te interrogarei, e tu me declararás.

“Onde você estava quando eu estabeleci os fundamentos da terra? Diga-me, se tens entendimento. Quem determinou suas medidas – certamente você sabe! Ou quem esticou a linha sobre ele? Em que bases foram afundadas, ou quem lançou sua pedra angular, quando as estrelas da manhã cantaram juntas, e todos os filhos de Deus gritaram de alegria?

“Ou quem fechou no mar com portas, quando irrompeu do ventre; quando fiz nuvens, suas vestes, e trevas grossas, suas bandas, e lhe prescrevi limites, e pus trancas e portas, e disse: ‘Até onde você chegará, e não mais além, e aqui suas ondas orgulhosas ficarão’?

[3]

A grandeza de Deus está além de toda a riqueza deste mundo e maior do que qualquer rei humano que já andou na terra. Pois o seu amor é o fogo que acende o coração dos homens mortais. Seu desejo de compartilhar esse amor é a razão pela qual ele criou todas as coisas. São Tomás de Aquino confirma novamente que “ devemos considerar não apenas a emanação de um ser em particular de um agente em particular, mas também a emanação de todos os seres da causa universal, que é Deus; e essa emanação designamos pelo nome da criação. Ora, o que procede por uma emanação específica não é pressuposto para essa emanação; como quando um homem é gerado, ele não era antes, mas o homem é feito de “não-homem” e branco de “não-branco”. Portanto, se considerar a emanação de todo o ser universal desde o primeiro princípio, é impossível que qualquer ser seja pressuposto antes dessa emanação. Pois nada é o mesmo que não ser. Portanto, como a geração de um homem é do “não-ser”, que é “não-homem”, a criação, que é a emanação de todo ser, é do “não-ser”, que é “nada”.[4] Cada um de nós, meus irmãos e irmãs, fomos criados maravilhosamente por ele. Imagine sua mãe e seu pai terrestres, segurando você, certificando-se de ter um belo cobertor em volta de você. Como eles valorizam seu sorriso e aqueles olhos grandes e bonitos. Como eles olham para o seu rosto, o formato da sua cabeça. O abraço desse corpo minúsculo e em sua natureza interior, verifique se você está protegido e defendido. Agora, imagine Deus, como ninguém viu cara a cara, mas ele te moldou em sua mente. Ele sabia que tipo de corpo para lhe dar, ele sabia que o melhor presente s para implantar em sua mente. A maioria desses recursos é a bela alma que ele criou. Esta alma é muito preciosa, então qualquer pedra que ele fez. É a essência que dá vida ao seu corpo físico. Dá a você sua personalidade, sua risada e seu caráter como ser humano.  “Então o Senhor Deus formou do chão um homem de pó e soprou em suas narinas o sopro da vida; e o homem se tornou um ser vivo. E o Senhor Deus plantou um jardim no Éden, no oriente; e lá ele colocou o homem que ele havia formado. “ [5] O mesmo espírito que pairava sobre a água no vazio e nas trevas é o mesmo Espírito do Deus Vivo que nos criou à sua imagem e para a satisfação de ter alegria nele. Pense nisso por um segundo pessoal. Deus não precisava de nós. Ele não precisava criar ninguém para apreciar sua criação. Ele poderia ter ficado sem nós e estivesse em paz com sua obra-prima. Mas ele queria que alguém compartilhasse sua alegria. A alegria quando você é promovido, quando tem seu primeiro filho, quando diz que eu te amo, quando se casa, mas essa Alegria é uma eternidade, pura e muito doce. Mas esse “mel” só é provado quando chegamos ao céu e estamos em sua poderosa presença na visão beatífica . Não vamos perder nosso tempo, talento e tesouro. Não abusemos dos animais e plantas que estão sob nossos cuidados. Vamos sem t machucar ou ferir uns aos outros, pois somos todos filhos do Deus vivo. Vamos nos alegrar e ser gratos pelo presente que Deus nos deu.

Reflita sobre esta citação de um homem maravilhoso que foi tocado pela misericórdia de Deus,

“Deus nos criou livremente para que possamos conhecê-lo, amá-lo e servi-lo nesta vida e sermos felizes com ele para sempre. O propósito de Deus em criar-nos é extrair de nós uma resposta de amor e serviço aqui na terra, para que possamos alcançar nosso objetivo de felicidade eterna com ele no céu.
Todas as coisas neste mundo são dons de Deus, criados para nós, para ser o meio pelo qual podemos conhecê-lo melhor, amá-lo com mais segurança e servi-lo com mais fidelidade.
Como resultado, devemos apreciar e usar esses dons de Deus, na medida em que nos ajudem a alcançar nosso objetivo de amar o serviço e a união com Deus. Mas, na medida em que qualquer coisa criada atrapalhe nosso progresso em direção ao nosso objetivo, devemos deixá-lo ir.
– Santo Inácio de Loyola

 

Obrigado e que a bênção de Deus venha sobre você e lhe dê a paz!

 

Aaron Joseph Hackett

 


[1] Catecismo da Igreja Católica CCC27

 

[2] Gênesis 1: 1-2

[3] Jó 38: 1-11

[4] Summa Theologiae, pergunta 45, resposta que

[5] Gênesis 2: 7-8

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google photo

You are commenting using your Google account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s

%d bloggers like this: